728x90 (1)

AGRONEGÓCIO

Vulnerabilidade genética aumenta risco de extinção do mogno

Publicados

em

Conhecido como madeira nobre, o mogno pode ser utilizado na fabricação de móveis sofisticados, instrumentos musicais, construção civil, indústria naval entre outras aplicações

Uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e de instituições parceiras identificaram uma ameaça significativa de diversidade genética em plantas jovens de mogno (Swietenia macrophylla), fragilizando a sobrevivência da espécie.

Reconhecida como madeira nobre, devido a facilidade de ser trabalhada e resistência, o mogno é utilizado na fabricação de móveis, instrumentos musicais, construção civil, indústria naval entre outras muitas.

Encontrada em poucos estados brasileiros e de alto valor comercial, o mogno está na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, na categoria vulnerável, devido à exploração indiscriminada restam apenas 20% dos estoques iniciais dessa madeira na América do Sul.

A pesquisa confirma a vulnerabilidade dessa espécie florestal, muito valorizada no mercado brasileiro de madeiras, necessitando de novas estratégias para melhorar o trabalho de manejo e garantir a sua conservação.

Leia Também:  Risco de covid-19 no estado do Rio caiu no fim de 2020, aponta mapa | Agência Brasil

Uma das autoras do estudo e pesquisadora da Embrapa Tatiana de Campos, explica que a extração do DNA da planta, associada ao uso de marcadores moleculares, permite identificar informações genéticas entre indivíduos da mesma espécie. Os dados apontam para ocorrência de endogamia entre as plantas juvenis, problema que consiste no cruzamento entre indivíduos aparentados.

Encontrada em poucos estados brasileiros e de alto valor comercial, o mogno está na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, na categoria vulnerável, devido à exploração indiscriminada restam apenas 20% dos estoques iniciais dessa madeira na América do Sul.

A pesquisa confirma a vulnerabilidade dessa espécie florestal, muito valorizada no mercado brasileiro de madeiras, necessitando de novas estratégias para melhorar o trabalho de manejo e garantir a sua conservação.

Uma das autoras do estudo e pesquisadora da Embrapa Tatiana de Campos, explica que a extração do DNA da planta, associada ao uso de marcadores moleculares, permite identificar informações genéticas entre indivíduos da mesma espécie. Os dados apontam para ocorrência de endogamia entre as plantas juvenis, problema que consiste no cruzamento entre indivíduos aparentados.

Leia Também:  Coluna – O risco das previsões num campeonato tão irregular | Agência Brasil

Fonte: Canal Rural

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Senar-MT prevê entrega de mais dois Núcleos Avançados de Capacitação

Publicados

em

Santa Cruz do Xingu e São Félix do Araguaia estão aguardando a inauguração de seus Núcleos Avançados de Capacitação (Nac). A previsão é que a entrega ocorra ainda em 2021. Outros dois municípios: Matupá e Apiacás estão com as estruturas em fase final de construção. As entregas das obras estão previstas para janeiro de 2022.

A última inauguração de Nac em Mato Grosso ocorreu neste mês de novembro em Tapurah. A cerimônia contou com a presença de lideranças do Sistema Famato, do setor agropecuário e autoridades locais.

O Presidente do Sistema Famato, Normando Corral destaca que tem um sentimento de alegria ao inaugurar os Nacs. Como produtor rural, ele conta que sabe da importância de ter um local adequado para a realização de cursos. “O papel do Senar-MT é absorver conhecimento e multiplicá-lo para os produtores rurais a fim de que possam utilizá-lo em seu trabalho no campo e também acompanhar o dinamismo do avanço tecnológico”.

O superintendente do Senar-MT Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia, destaca que os Sindicatos Rurais junto com os produtores rurais precisam usar o Senar-MT para capacitar e qualificar pessoas. “Uma pessoa qualificada tem condições de tirar o máximo destas máquinas e equipamentos cada vez mais modernos que estão chegando ao mercado”.

Infraestrutura – A estrutura é composta por salas de aula, cozinha industrial equipada para receber qualquer tipo de treinamento de transformação e industrialização de alimentos, banheiros e ar condicionado. Mais do que isso, o Nac tem uma área externa adequada para receber máquinas e equipamentos para as aulas práticas dos cursos ofertados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) em parceria com os Sindicatos Rurais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Senar/MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Áreas de alto risco diminuem no Rio, mas município mantém restrições | Agência Brasil
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA