728x90 (1)

ECONOMIA

Caixa anuncia redução das parcelas de financiamento habitacional para auxiliar clientes na crise

Clientes que solicitarem poderão ter até 75% de redução da parcela mensal por período determinado. Beneficiários do Auxílio Emergencial ou do Seguro Desemprego poderão suspender temporariamente o pagamento das parcelas.

Publicados

em

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nesta segunda-feira (7) que o banco irá oferecer redução de até 75% no valor das parcelas de financiamento habitacional, por prazo limitado, para auxiliar os clientes em meio à atual crise financeira.

Além disso, beneficiários do Auxílio Emergencial ou do Seguro Desemprego poderão contar com uma “pausa” no pagamento das parcelas.
De acordo com Guimarães, a solicitação de redução da parcela deverá ser feita pelo App Habitação Caixa.

O desconto será concedido por prazo determinado, conforme o percentual concedido:

  • redução de até 25% da prestação por até 6 meses;
  • redução de 25% a 74,99% da prestação por até 3 meses;
  • e redução acima de 75% da prestação, mediante comprovação da perda de renda e avaliação pela Caixa.

Para ter acesso a até 74,99% de desconto por até 3 meses não será necessário qualquer tipo de comprovação ou análise.
Já os clientes que desejarem mais de 75% de desconto precisarão comprovar que perderam renda e serão submetidos a uma avaliação.

Ao final do prazo estabelecido, a cobrança volta ao valor normal e os desconto concedidos serão cobrados, proporcionalmente, até o final do contrato.

Leia Também:  Drake anuncia novo álbum para janeiro

O banco enfatizou que “a taxa de juros e o prazo contratados inicialmente não sofrem alteração” mediante a concessão do desconto nas parcelas.

Suspensão de parcelas

Já a suspensão do pagamento das parcelas para quem estiver recebendo o Auxílio Emergencial em 2021 ou o Seguro Desemprego deverá ser solicitada pelo App Habitação Caixa ou por meio do telefone 0800-104-0104.
A pausa da cobrança será feita pelo prazo de até 6 meses.
“Essas medidas proporcionam às famílias a possibilidade de se reorganizarem para voltar a pagar integralmente a prestação mensal”, destacou a Caixa em comunicado à imprensa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CUIABÁ

Caldo feito com ossos alimenta famílias por até três dias; veja

Rede Globo mostrou fila de pessoas que não têm o que comer e vão em busca da doação de ossos

Publicados

em

A fila de pessoas que não têm o que comer e vão em busca da doação de ossos feita por um açougue do Bairro CPA 2, em Cuiabá, foi um dos destaques da noite de domingo (25), no Fantástico, na Rede Globo.

O drama ganhou repercussão nacional após uma reportagem sobre a fila dos ossos ser publicada pelo MidiaNews.

O Fantástico acompanhou a rotina de algumas das famílias que, três vezes por semana, vão ao Atacadão da Carne em busca de um dos pacotes de 2 kg de osso. Sem renda, eles vivem em situação de vulnerabilidade financeira.

Janaina, mãe solteira de quatro filhos, que perdeu o emprego no setor de limpeza de um shopping durante a pandemia, é uma delas.

Muito usados para cozinhar com feijão, os ossos ajudam a dar uma encorpada no caldo que Janaina e a vizinha, Eliana, preparam juntas.

De acordo com a reportagem, mais de 19 milhões de brasileiros acordam sem a certeza de que terão ao menos uma refeição no dia.

Leia Também:  Produção de aço bruto do Brasil cai 18% no primeiro semestre de 2020

A distribuição é feita há 10 anos, mas a procura aumentou muito durante a pandemia. Por isso, a empresária Samara Rodrigues de Oliveira, dona do açougue, disponibiliza dois funcionários para ajudarem na distribuição, que agora precisa ser feita três vezes na semana.

Conforme Samara, algumas pessoas chegam a comer a carne crua e outra sequer possuem oléo ou sal para fazer o preparo.

Por conta do preço do botijão de gás, usam álcool ou fogão a lenha para conseguirem cozinhar os ossos.

Veja a reportagem AQUI.

“Tudo aqui é feito no fogão à lenha agora, para a gente poder economizar gás. A gente come agora e depois a gente separa em vasilinhas e guarda no congelador e vai tirando. Dá uns dois ou três dias para mim e para ela, certinho”, explicou Janaina.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA