728x90 (1)

O pior já passou

Foto de Sikêra Jr. com saúde debilitada viraliza nas redes sociais

Publicados

em

Foto de Sikêra Jr. viralizou nas redes sociais (Crédito: Reprodução/WhatsApp)

Uma suposta foto de Sikêra Jr., apresentador do ‘Alerta Nacional‘, da RedeTV!, tem circulado em grupos de WhatsApp, e em outras redes sociais também. Na imagem em questão, ele aparece deitado em uma cama e com máscara de oxigênio, que acabou deixando seus fãs preocupados. De acordo com informações do colunista Leo Dias, do UOL, quem aparece na foto realmente é Sikêra Jr. e a publicação teria sido autorizada pela assessoria de imprensa do comunicador.

Apesar disso, Wallacy Bruno, amigo e assessor de Sikêra, informa que o registro não é recente. “Pela foto deve ser da semana passada”, disse. O assessor ainda informa que o pior período da doença já passou e que agora Sikêra se recupera bem em casa: “Ele está bem. Já passou o período da doença, mas segue se recuperando. O Sikêra não estava usando respirador, apenas uma máscara de oxigênio porque estava ficando cansado muito fácil”.

Recentemente, um jornalista informou que o apresentador estava com os pulmões comprometidos. Posteriormente, em aparição por vídeo na RedeTV!, ele negou a informação, mas pediu para que seus fãs não subestimassem a doença, como ele mesmo havia feito. No último dia 22 de abril, Sikêra passou mal ao vivo e precisou ser substituído.

Leia Também:  Enfrentando o luto diante da pandemia

O colunista também noticia de que o surto de Covid-19 em Manaus atingiu o círculo de pessoas que convivem com o apresentador, já que, além dele, sua família também acabou contaminada pelo vírus.

Seis pessoas que tiveram contato com o jornalista já receberam resultados positivos dos exames do novo coronavírus. Dentre os contaminados, apenas Sikêra faz parte do grupo de risco, por ser cardíaco e também já ter infartado há alguns anos.
Fonte: istoé.com.br
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Governador de Mato Grosso reforça defesa do congelamento do ICMS dos combustíveis

Mauro Mendes assinou carta junto com outros 20 governadores, na qual defende a prorrogação da medida

Publicados

em

Em carta pública, o governador Mauro Mendes reforçou a defesa por prorrogar o congelamento do preço médio do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF), que é o preço usado para a base de cálculo de cobrança do ICMS dos combustíveis.

A carta foi assinada por 21 governadores, nesta quarta-feira (26.01). O Governo de Mato Grosso já havia votado pela prorrogação do congelamento no dia 14 de janeiro, junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), mas foi voto vencido na ocasião.

Nesta semana, Mauro Mendes enviou nova proposta ao grupo de governadores, na qual insistiu em prorrogar a medida por mais 180 dias, mas não foi aceita em sua integralidade, ficando definido o prazo de mais 60 dias. A proposta deve ser votada nesta quinta-feira (27.01) junto ao Confaz.

“Diante do novo cenário que se descortina, com o fim da observação do consenso e a concomitante atualização da base de cálculo dos preços dos combustíveis, atualmente lastreada no valor internacional do barril de petróleo, consideram imprescindível a prorrogação do referido congelamento pelos próximos 60 dias, até que as soluções estruturais para a estabilização dos preços desses insumos sejam estabelecidas”, consta trecho da carta assinada pelos 21 governadores.

Leia Também:  Operação prende 14 pessoas por embriaguez ao volante durante blitz

Conforme os gestores, a proposta é mais um esforço para amenizar a inflação que tem prejudicado a população, em especial “as camadas mais pobres e desassistidas”.

Mauro Mendes e os demais governadores também defenderam a mudança na política de preços da Petrobras, que é baseada no preço internacional do barril de petróleo.

“Enfatizam a urgente necessidade de revisão da política de paridade internacional de preços dos combustíveis, que tem levado a frequentes reajustes, muito acima da inflação e do poder de compra da sociedade”, finalizaram.

Em relação aos combustíveis, o Governo de Mato Grosso também realizou promoveu redução de ICMS que passou a valer a partir deste ano. Foi reduzido o imposto da gasolina de 25% para 23% (a menor alíquota do país) e do diesel de 17% para 16%. No etanol, Mato Grosso tem a menor alíquota entre os estados, de 12,5%.

Além de Mauro Mendes, assinaram a carta pública os seguintes governadores: Waldez Góes (Amapá), Ronaldo Caiado (Goiás), Wilson Lima (Amazonas), Flávio Dino (Maranhão), Camilo Santana (Ceará), Ibaneis Rocha (Distrito Federal), Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul), Renato Casagrande (Espírito Santo), Romeu Zema (Minas Gerais), Helder Barbalho (Pará), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), João Azevêdo (Paraíba), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), Ratinho Júnior (Paraná), Carlos Moisés (Santa Catarina), Paulo Câmara (Pernambuco), João Doria (São Paulo), Wellington Dias (Piauí), Belivaldo Chagas (Sergipe) e Cláudio Castro (Rio de Janeiro).

Leia Também:  Anticoagulante reduz em 70% a infecção de células pelo novo coronavírus

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA