728x90 (1)

MATO GROSSO

Após 34 anos, obra do Hospital Central está 50% concluída

á foram realizados procedimentos de sondagens, terraplanagem, fundações, demolições, rede de esgoto, superestrutura metálica, laje, cobertura metálica, alvenaria e recuperação estrutural.

Publicados

em

da obra do Hospital Central de Alta Complexidade, localizado em Cuiabá. Até momento, foram investidos cerca de R$ 55 milhões na realização do projeto, aproveitando a estrutura que esteve abandonada por mais de três décadas.

 

O novo projeto é executado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), com total de 32 mil m² de área construída, sendo que os 9 mil m² do prédio antigo são aproveitados.

 

“Retomamos a obra com o compromisso de entregarmos à população uma unidade de saúde totalmente moderna e de qualidade. Esta é só uma das dezenas frentes de trabalho que estão em andamento na Saúde. Nosso objetivo é promover um atendimento ágil e eficiente aos usuários do SUS. Para isso, é imprescindível que os hospitais estejam bem estruturados e com equipes capacitadas”, destaca a secretária estadual de Saúde, Kelluby de Oliveira.

á foram realizados procedimentos de sondagens, terraplanagem, fundações, demolições, rede de esgoto, superestrutura metálica, laje, cobertura metálica, alvenaria e recuperação estrutural.

Leia Também:  Fecomércio MT inaugura o espaço Sesc Equilíbrio em Cuiabá

 

Na obra, está em andamento o muro de alvenaria, muro de arrimo, cabine das subestações, instalação da rede de gás medicinal, instalações de água fria e esgoto, drenagem, infraestrutura das instalações elétricas de baixa tensão e cabeamento estruturado, rede de hidrantes de combate incêndio, construção da Central de Água Fria, impermeabilização e contra piso armado. A unidade deverá ser entregue em 2023.

Por meio do Hospital Central, o Estado estima oferecer 1.990 internações, 652 cirurgias, 3.000 consultas especializadas e 1.400 exames por mês. O novo projeto para a unidade prevê 10 salas cirúrgicas, 60 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 230 leitos de enfermaria. A unidade hospitalar de alta complexidade disponibilizará um total de 290 leitos voltados para o atendimento de toda a população mato-grossense.

Dentre as especialidades previstas para o Hospital Central estão Cardiologia, Neurologia, Vascular, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Urologia, Ginecologia, Infectologia e Cirurgia Geral.

Histórico

A construção do Hospital Central, lançada em 1984, foi pensada com o objetivo de proporcionar um atendimento de referência em alta complexidade nas especialidades de traumatologia, ortopedia, além de urgência e emergência de trauma. Contudo, a obra foi paralisada em 1987.

Leia Também:  Ministro diz que governo não pretende enviar doses extras a Cuiabá por conta da Copa América

A atual gestão do Governo de Mato Grosso apresentou um novo projeto para a estrutura do Hospital Central em novembro de 2019. Depois do anúncio, foi lançado o edital e seguidos os trâmites licitatórios. A assinatura do contrato para o início das obras ocorreu em outubro de 2020.

Da Redação

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Projeto em andamento: Duplicação do Anel Viário também deve ser anunciada

Publicados

em

Com o anúncio de convênio entre Prefeitura e Governo do Estado para as obras de reestruturação do Distrito Industrial Rondonópolis (Distrito Antigo) nesta sexta-feira (1), a expectativa agora permanece com relação a outra obra muito esperada e alvo de cobranças constantes em Rondonópolis: a recuperação e duplicação do Anel Viário. Havia expectativa de que o Governo do Estado também anunciasse a realização da obra, porém isso acabou não ocorrendo.

As informações são de que a obra de duplicação do Anel Viário, que inclusive, já foi prometida pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, como mostrou recentemente o A TRIBUNA, não foi anunciada nessa ocasião em função do projeto ainda não ter sido concluído pelo Estado.

A obra prevê a duplicação do Anel Viário ao longo de todo o trecho, com construção de nova pista e recuperação da atual. São estimados investimentos na ordem de R$ 20 milhões no local.

Hoje, o Anel Viário é um dos gargalos no tráfego de veículos pesados em Rondonópolis e constantemente alvo de críticas pelas péssimas condições, com pista tomada pelos buracos.

Leia Também:  Hospital de Campanha de Salvador recebe primeiros pacientes

Mesmo com a não divulgação do início das obras nesta sexta-feira em reunião entre o governador Mauro Mendes e o prefeito José Carlos do Pátio, a previsão é de que o Governo do Estado anuncie a construção da duplicação nas próximas semanas, assim que o projeto de engenharia esteja concluído

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA