Coronavirus

Presidente da câmara de Vereadores é intubado por conta da Covid

Publicados

em

O estado de saúde do vereador e presidente da câmara de Nova Mutum, João Batista apresentou leve agravo nas últimas horas e ele foi intubado.
O atual estado de saúde é considerado estável e segue internado em Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional Hilda Strenger Ribeiro.
As informações foram confirmadas, há pouco, pela assessoria, que ainda detalhou que a “família manifesta gratidão por toda a preocupação demonstrada por membros da sociedade, bem como por todas as orações”.
Batista apresentou sintomas da Covid na segunda-feira (15), iniciou período de isolamento e teve a confirmação da infecção da doença. Já no dia 17, foi internado no Regional para acompanhamento médico e, há uma semana, levado para UTI.
Desde o início da pandemia, 66 pessoas morreram em Nova Mutum. São 5.676 pacientes que testaram positivo, sendo que 5.322 se recuperaram. Atualmente, nove moradores estão em UTIs.
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Brasil acumula 4,6 milhões de casos e 138,9 mil mortes por covid-19
Propaganda

Coronavirus

Emanuel cumprirá decisão do TJ e quarenta obrigatória começa na 4ª feira em Cuiabá

Publicados

em

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou que vai cumprir a decisão judicial que obriga a adoção de quarentena obrigatória na Capital. O decreto nº 8.372 de 2021 começa a vigorar na próxima quarta-feira (31) e tem validade por 10 dias, até o dia 9 de abril. Apesar de acatar a determinação, o gestor adicionou às exceções uma lista de atividades comerciais que não constam na normativa estadual que embasou a decisão na Justiça.

Segundo o entendimento do gestor, algumas regras previstas pelo decreto do Estado nº 874/2021 não poderiam ser quebradas. É o caso das aulas em sistema híbrido, que ficam suspensas a partir de quarta (31). Por outro lado, Emanuel Pinheiro enxergou uma “brecha” que segundo ele, permite que todo o comércio varejista funcione como atividade essencial.

Na prática, o decreto nº 8.372 de 2021 não proíbe as atividades econômicas, mas escalona os horários conforme o decreto estadual. Isto é, todos os segmentos terão o funcionamento permitido no máximo até as 20 horas no período de segunda a sexta-feira. Além das atividades adicionadas pelo prefeito, também estão liberadas todas as 54 atividades essenciais listadas no decreto federal 10.282 de março de 2020, que pode ser acessado aqui.

Leia Também:  BID: teste em larga escala é fundamental para retomada de atividades

Apesar da decisão da presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Helena Póvoas, dizer explicitamente que os prefeitos não estão autorizados a flexibilizar o decreto estadual, Emanuel Pinheiro defendeu que a lista de atividades essenciais não se enquadra à regra. Segundo ele, a decisão também feriu o estado democrático de direito e a autonomia do município.

“Depois de um ano em uma ação muito discutida com nossas equipes, entendemos que é hora de conviver com o vírus, não é hora de decretar lockdown e aí começam os desencontros, vem toda essa trapalhada do governo do Estado que acabou sendo o motivo para que o Ministério Público acionasse o município de Cuiabá em uma ação que eu acho que viola o estado democrático de direito, a autonomia do município”, declarou.

O prefeito também citou o incremento que tem feito em relação à assistência médica aos pacientes com Covid-19 na Capital, como a abertura de leitos e a transformação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em unidades exclusivas para o atendimento desses casos. O mesmo aconteceu na Policlínica do Verdão e Hospital São Benedito. Na última semana, entretanto, todas as UPAs chegaram a ficar com o atendimento suspenso devido à superlotação.

Leia Também:  Covid-19: mortes somam mais de 257 mil e casos passam dos 10,6 milhões

Ainda que considerada uma das capitais com menos número de casos e de mortes na primeira onda da pandemia, Cuiabá rapidamente evoluiu e na segunda onda de Covid-19 é considerada a terceira Capital mais letal quando o assunto é a doença, segundo levantamento publicado pela Exame. O prefeito, entretanto, garante que é possível conviver com o vírus de forma segura.

“Temos que conviver e aprender a conviver com o novo normal, aprender a conviver com o vírus, respeitando as medidas de biossegurança. É possível conviver com o vírus se protegendo. O que orienta a prefeitura é que, se você puder, fique em casa. Agora se não puder, se você tem que trabalhar, trabalhe, mas trabalhe com segurança. Não é justo aqueles que trabalham corretamente pagarem por aqueles que desrespeitam e descumprem as medidas de biossegurança”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA