728x90 (1)

MUNDO

Pastora americana larga igreja para trabalhar como stripper

Publicados

em


source
stripper
Reprodução

Nikole Mitchell disse que nunca foi tão feliz


Como diz o ditato popular: “Não dá para servir a dois senhores ao mesmo tempo”. E uma ex-pastora americana levou a expressão a sério: ela desistiu da igreja para se tornar uma stripper , acumulando 42 mil segudiores que pagam para ver suas fotos e vídeos eróticos na internet.

Mãe de três filhos , Nikole Mitchell, 36, casou-se e virou pastora – o que, segundo ela, foi uma atitude vista como rebelde aos olhos de sua família, já que “lugar da mulher é na cozinha e cuidando dos filhos”.

pastora
Reprodução

Nikole era pastora em uma mega-igreja evangelista


Mas quando Nikole, e seu agora ex-marido, se juntaram a uma mega-igreja evangelista em St. Paul, Minnesota, ela teve uma epifania que a levou a uma decisão que mudou sua vida .


Ela começou a questionar sua sexualidade em 2016, depois que foi a uma apresentação de teatro voltada para o público LGBTQI+ e percebeu que era bissexual . “Eu sabia que, se me revelasse, perderia tudo, porque a igreja não acolhe essas pessoas.” 

Não querendo levar uma vida dupla, Nikole deixou a igreja para sempre e ‘ saiu do armário ‘ em um vídeo confessional postado no YouTube.

A stripper, que agora se mudou para Los Angeles, diz que está “mais feliz do que nunca”. “Comecei muito tímida, com apenas fotos de topless, mas agora estou no ponto em que faço fotos e vídeos sob medida para os desejos específicos de cada um. Cada pessoa tem o direito de se expressar da maneira que for melhor para ela, e é assim que me sinto bem”, acrescentou.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MUNDO

Embaixadora que agrediu funcionária em Brasília volta para as Filipinas

Publicados

em

Por


source
Embaixadora das Filipinas
Reprodução

Embaixadora que agrediu empregada em Brasília volta para as Filipinas

A embaixadora das Filipinas no Brasil,  Marichu Mauro, deixou o Brasil na madrugada desta terça-feira (3) e voltou ao país asiático. O retorno ocorreu no mesmo dia em que o presidente  Jair Bolsonaro (sem partido) tornou sem efeito um decreto publicado no dia 7 de outubro, que iria admitir a embaixadora na Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, no grau de Grã-Cruz.

A condecoração é destinada a chefes de Estado, chefes de Governo, príncipes, presidente do Poder Legislativo, presidentes das Cortes Supremas de Justiça, ministros de Estado, embaixadores, governadores, almirantes, marechais, marechais-do-ar, almirantes-de-esquadra, generais-de-Exército, tenentes-brigadeiros e outras personalidades de hierarquia equivalente.

Contexto 

A embaixadora  foi flagrada agredindo com tapas no rosto e puxões de orelha uma empregada doméstica da residência oficial da representação diplomática das Filipinas em Brasília.

Leia Também:  Homem é preso por estuprar e matar amiga de infância

As gravações integram inquérito do Ministério Público do Trabalho (MPT). A vítima, de 51 anos, é de origem filipina e embarcou para seu país de origem no último dia 21.

Marichu Mauro estava no cargo desde 7 de abril de 2018. Ela chegou a ser homenageada pelo então presidente  Michel Temer, que recebeu suas credenciais diplomáticas.

Desde janeiro, Marichu Mauro também representa as Filipinas na Venezuela como embaixadora não residente. Ela é, ainda, embaixadora na Guiana, na Colômbia e no Suriname.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA