728x90 (1)

POLICIAL

Justiça condena irmão de Emanuel por dívida referente ao “oscar cuiabano”

Marco Polo Pinheiro, popularmente conhecido como Popó, tentou alegar que documentos acostados ao processo eram insuficientes para sustentar a cobrança, mas a juíza Vandymara Paiva Zanolo refutou a tese.

Publicados

em

O empresário Marco Pólo Pinheiro, irmão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), mais conhecido como “Popó”, foi condenado a pagar R$ 43,7 mil por dívidas da premiação GW 100. O débito foi contraído junto à ‘Festas e Artigos de Época’ Ltda, na edição de 2019 do “oscar cuiabano”.

Narram os autos da ação que a empresa foi contratada ainda em 2018 para a prestação de serviço de buffet durante a premiação. O pagamento foi estabelecido contratualmente em três parcelas, sendo uma de R$ 18 mil e as demais, R$ 17 mil, a serem pagas nos meses de março, abril e maio de 2019.

Adtivo ao contrato foi celebrado em maio, com objetivo de incluir mais 250 convidados no evento. Naquele dia, o custo dos serviços totalizou R$ 78.250, dos quais R$ 23 mil foram pagos.

Mesmo com a inadimplência, a empresa prestou os serviços contratados por Marco Pólo Pinheiro para a cerimônia de entrega de prêmios. Na ocasião, um débito no valor de R$ 408 foi somado à dívida, em decorrência da danificação de alguns itens do buffet.

Leia Também:  Veja vídeo - Adolescente que atirou em amiga é praticante de tiro esportivo

Depois da premiação, a empresa alega ter feito vários contatos com o contratante, mas só conseguiu receber R$ 11,5 mil. Pleiteando judicialmente o pagamento do restante do valor devido. Popó, por sua vez, alegou que os documentos acostados ao processo eram insuficientes para sustentar a cobrança.

A juíza Vandymara G. R. Paiva Zanolo, da 4ª Vara Cível de Cuiabá, contudo, julgou em favor da empresa lesada, à exceção do valor de R$ 408. Segundo ela, não havia elementos que pudessem comprovar os supostos gastos com a danificação de itens do buffet. Assim, estabeleceu a condenação no valor de R$ 43.750, acrescido de juros de mora contratuais de 5% ao mês, multa contratual de 2% e correção monetária pelo INPC, todos a partir do vencimento de cada obrigação.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLICIAL

Força Tática prende homem com duas armas de fogo e R$ 9 mil em dinheiro

Suspeito confessou aos policiais que não possui autorização para ter armas de fogo

Publicados

em

Policiais militares da Força Tática prenderam um homem, de 57 anos, por porte ilegal de arma de fogo, na noite desta segunda-feira (17.01), na cidade de Poconé. A polícia apreendeu duas armas de fogo calibre .38, 12 munições do mesmo calibre e uma quantia de R$ 9.360,00 em dinheiro.

A equipe policial estava em rondas pelo bairro Santa Tereza, por volta de 20h50, quando foi abordada por um morador, que afirmou aos policiais que estava em um estabelecimento comercial e viu o proprietário do local com uma arma na cintura.

Com as informações passadas pelo denunciante, os policiais da Força Tática se deslocaram ao estabelecimento e encontraram o suspeito. Questionado sobre as armas, o homem confessou que possuía duas armas de fogo, que estariam escondidas no guarda roupa de sua casa.

No local, os policiais encontraram as armas e suas respectivas munições, além de uma quantia de R$ 9.360,00 em dinheiro. O suspeito foi perguntado se possuía documentos para porte das armas, o que foi negado pelo homem. Diante dos fatos, o suspeito e todo o material apreendido foram encaminhados para a Delegacia de Poconé para o registro da ocorrência.

Leia Também:  Justiça revoga medidas cautelares impostas contra Antenor

Da Redação

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA