728x90 (1)

POLÍTICA MT

Cidinho minimiza impacto de áudio vazado e confirma vinda de Bolsonaro a MT

Publicados

em

O senador Cidinho Santos (PSL) minimizou o impacto de um áudio vazado na semana passada que registra uma conversa entre o deputado federal Neri Geller (PP), o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e o líder do Executivo na Assembleia Legislativa, deputado Dilmar Dal’Bosco, também do Democratas, com críticas aos bolsonaristas radicais do estado. Para Cidinho, as declarações do governador não foram comprometedoras e a relação que o grupo tenta construir entre Mendes e Bolsonaro não deve ser estremecida pelo vazamento. Prova disso é que o próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deverá cumprir agenda no estado,  programada para o dia 19 deste mês. Entre os atos está prevista uma “motociata” em apoio a Bolsonaro.

“Foi uma conversa informal e o governador não falou nada demais. Acredito na relação [entre Mendes e Bolsonaro]. Tanto que o presidente estará vindo para Mato Grosso nos próximos dias e vai participar de vários eventos com o governador. Vai ter um evento de plantio, um evento indígena e uma motociata, muitas coisas”, disse o senador à imprensa nesta segunda-feira (02), após reunião com o governador, sem entrar em detalhes da agenda presidencial.

Leia Também:  Projeto de lei que universaliza acesso a escolas militares é aprovado na ALMT

Na gravação vazada, Geller chama os bolsonaristas radicais de “doentes” e diminui a importância desta parcela do eleitorado para as eleições de 2022. Na avaliação do parlamentar, é mais certo que o apoio ao grupo seja efetivado nas urnas eletrônicas pelos eleitores que estão mais identificados no centro ou centro-esquerda da batalha político-ideológica. “Não adianta se iludir, nós pegamos mais da centro-esquerda do que desses radicais”, diz Geller. “Em todo lugar da região Norte ele está bem”, lembra Dal Bosco, referindo-se à popularidade do presidente. “Radical deve ser aqui no Mato Grosso uns 10%”, pontua Mendes, por sua vez.

Ouça a gravação da conversa:

Veja a transcrição do áudio:

Neri Geller: Não adianta se iludir
Mauro Mendes: Oi?
Neri Geller: Nós pegamos mais [votos] da Centro-Esquarda do que destes radical (sic)
Dal Bosco: Agora todo lugar no norte, região norte [de MT], tá bem pra carai (sic)
Neri Geller: Este radical, Mauro… não dá. Você fala em 30% e não dá 18% (sic)
Mauro Mendes: Radical deve ser aqui no Mato Grosso uns 10%
Neri Geller: Só doente
Mauro Mendes: Doente
Neri Geller: Agora este 10% estraga para cara**

Leia Também:  Atuação do servidor público é essencial para a garantia de direitos da população

O diálogo aconteceu dois dias depois após reunião presencial entre Mendes e Bolsonaro em Brasília, quando os três políticos de Mato Grosso estavam em um voo para cumprir agenda na cidade de Colíder. Tanto o governador quanto o deputado federal já se posicionaram, em vídeos, esclarecendo o contexto do áudio.

Geller afirma que é alinhado com o presidente Bolsonaro, “inclusive em pautas extremamente polêmicas e difíceis de fazer enfrentamento”. No entanto, o deputado confessou ser contra extremismos, tanto para a esquerda quanto para direita. “O extremismo não leva a nada. Quem me conhece sabe que eu trabalho com resultados”, argumenta.

Mendes disse que o áudio pegou apenas trecho da conversa sobre conjuntura política e, por isso, e foi reproduzido fora de contextos em grupos de WhatsApp e na “imprensa maldosa”. No novo vídeo, o governador chama os mais radicais de “fortemente apaixonados” por Bolsonaro.

Veja o posicionamento do governador e do deputado federal:

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Caminhoneiros mantêm bloqueio em oito trechos de rodovias em MT

Nestes pontos está sendo permitida somente a passagem de veículos com cargas vivas, perecíveis e ambulâncias.

Publicados

em

Após dois dias do feriado de 7 de setembro, oito municípios de Mato Grosso continuam com trechos das rodovias federais BR-163, BR-364 e BR-070 bloqueados pelos caminhoneiros que manifestam a favor do governo Bolsonaro. Nestes pontos está sendo permitida somente a passagem de veículos com cargas vivas, perecíveis e ambulâncias.

Segundo a concessionária Rota do Oeste, os trechos que seguem interditados pelos manifestantes são: Cuiabá (KM 396 da BR-364), Várzea Grande ( KM 517 da BR-070), Nova Mutum ( KM 601 e KM 593 da BR-163), Lucas do Rio Verde ( KM 687 da BR-163), Sorriso ( KM 745 da BR-163) e Sinop ( KM 821 da BR- 163).

Os trechos de Guarantã do Norte ( KM 1055 da BR-163) e Matupá ( KM 1035 da BR-163) também seguem interditados. Conforme um comunicado que circula nas redes sociais, o objetivo da manisfestação é fazer com que o Congresso Nacional aprove o voto impresso e auditável com contagem pública dos votos.

Os caminhoneiros pedem também a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por promoverem uma “ditadura judiciária”.

Leia Também:  Projeto de lei que universaliza acesso a escolas militares é aprovado na ALMT

Áudio de Jair Bolsonaro

Na quarta-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro emitiu um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as rodovias do país. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação “atrapalha a economia” além de prejudicar toda a população.

“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”, disse o presidente na gravação.

Veja vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA