728x90 (1)

POLÍTICA MT

Mendes diz que não irá ceder à pressão de policiais penais

Publicados

em

A ameaça de greve dos policiais penais de Mato Grosso fez o governador Mauro Mendes (DEM) cancelar um evento marcado para a última sexta-feira (10), que teria a presença de políticos nacionais. Porém, o gestor já adiantou que não irá ceder a esse tipo de pressão, contudo, tem uma reunião foi marcada com a categoria na terça-feira (14).

 

Os policiais penais reivindicam aumento salarial. A proposta apresentada pelo sindicato foi rejeitada pelo governo. Com a negativa, eles decidiram pela greve, com início previsto para esta segunda-feira (13). Mas a paralisação foi suspensa após a convocação de uma nova reunião entre o sindicato e a Casa Civil.

Por causa da tensão do anúncio da greve, Mendes cancelou a inauguração das novas alas da Penitenciária Central do Estado (PCE). “Nós tínhamos autoridades nacionais que viriam aqui e tivemos que cancelar para não expor o Estado de Mato Grosso àquela situação de constrangimento”.

 

Esse tipo de atitude, segundo o governador, é “muito ruim” e não é assim que se negocia. “Não é com esse tipo de pressão que iremos ceder e eu já demonstrei isso em outras oportunidades”.

Leia Também:  União do Sul é o primeiro município de MT a receber condomínio residencial para policiais

 

Apesar de adiantar que não cederá, Mauro diz que vai “dialogar” sobre o pedido da categoria. “O governo tem muita dificuldade em aceitar esse tipo de pressão para fazer negociação. Nós sempre tivemos as portas abertas e a gente esta aprofundando nesse tema para conhecer e compreender melhor. Vamos dialogar, não tem problema fazer o diálogo”.

Fonte: Gazeta Digital

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Prefeito ameniza dificuldades na entrada de Márcia no interior: ‘Capital é vitrine’

Além disso, ele afirma que irá contar com as demais lideranças do arco de alianças da esquerda, para propagar em todo o Estado o projeto de Márcia ao Governo

Publicados

em

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) não vê dificuldades em levar o nome de sua esposa, a primeira-dama Márcia Pinheiro (PV), ao interior do Estado. Para ele, inclusive, ela já tem certa capilaridade eleitoral fora da baixada cuiabana devido a visibilidade obtida pela sua gestão frente ao Palácio Alencastro.

“De cara, a primeira-dama, esposa do prefeito da Capital, já tem uma capilaridade, já tem o conhecimento em todo o estado, principalmente devido a uma gestão muito bem avaliada como a nossa, que terminou o primeiro mandato com 86% de aprovação popular. Cuiabá é a Capital do estado, é a maior e mais importante cidade do estado e é vitrine, propagada para todo o estado de Mato Grosso”, avalia.

Além disso, ele afirma que irá contar com as demais lideranças do arco de alianças da esquerda, para propagar em todo o Estado o projeto de Márcia ao Governo.

“Nós temos o apoio da Federação, do PT, PCdoB e PV, que são partidos com grande capilaridade no Estado. Temos o apoio do Neri Geller, do senador Carlos Fávaro, temos o apoio do Solidariedade, partido novo mas que tem raízes fincadas em várias regiões do estado, e temos o apoio do presidente Lula”, cpmpletou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Vigilante de aeroporto é baleado por policiais da Rotam ao ser confundido com ladrão
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA