728x90 (1)

POLÍTICA MT

MP é contra soltura de vereador que tentou atirar em colega na Câmara

Publicados

em

O Ministério Público Estadual (MPE) se manifestou contrário ao pedido de liberdade formulado pela defesa do vereador Neiriberto Martins da Silva Erthal, acusado de tentar matar um colega na Câmara Municipal de Querência, em 21 de março deste ano.

O procurador de Justiça João Batista de Almeida pontuou, em manifestação à Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que a prisão se faz necessária para garantia da ordem pública. Ainda, que instrução criminal fica ameaçada com a soltura do vereador.

Consta da manifestação que, após o episódio da tentativa de homicídio, o vereador não teve a prisão em flagrante e a arma usada no crime simplesmente desapareceu. O procurador ainda destacou que, depois de ter sido interrogado sobre o caso, o vereador deixou a cidade de Querência e só foi encontrado dois dias depois, em Cuiabá.

Ainda de acordo com o representante do MPE, a prisão preventiva encontra respaldo legal, seguindo as hipóteses previstas no Código de Processo Penal. Para o procurador, a gravidade do caso justifica a prisão preventiva.

Leia Também:  Câmara aprova programa que substitui Minha Casa Minha Vida

“Analisando a decisão acoimada ilegal, não se traduz como desprovida de fundamentação, tendo a necessidade de acautelamento provisório do paciente sido pautada na existência de prova da materialidade e suficientes indícios de autoria, bem como na garantia da ordem pública, em face a gravidade in concreto do delito, evidenciada pelo modo de execução, eis que, por uma simples divergência de pensamento no plenário da Câmara de Vereadores, o paciente apontou a arma para vítima e tentou efetuar dois disparos e, após, ameaçou outras pessoas presentes na sessão plenária, circunstâncias estas, a princípio, reveladoras da gravidade e periculosidade do agente”, diz trecho da manifestação, juntada nesta segunda-feira (18).

O pedido de liberdade ainda vai ser analisado pelo desembargador Orlando Perri.

O caso

No dia 21 de março, durante sessão na Câmara Municipal de Querência, Neiriberto Erthal (PSC) sacou um revólver e chegou a acionar o gatilho contra o vereador Edimar Batista (PDT). A situação ocorreu após os dois se desentenderem sobre dois projetos de lei que tratavam do aumento de cargos de vereadores na Câmara e de pagamento de 13º para vereadores, prefeito e vice-prefeito.

Leia Também:  Câmara aprova projeto que estabelece pagamento por serviços ambientais

A confusão foi gravada pela própria Câmara Municipal, que transmitia a sessão pela internet. A situação apenas não se agravou devido a intervenção da Polícia Militar.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Disputa por cadeira no Senado registra 8 nomes para única vaga

Publicados

em

Cargo mais cobiçado do que o de governador, a disputa ao Senado neste ano em Mato Grosso já conta com 8 pré-candidaturas, seguindo a tendência das duas últimas disputas  que chegaram a ter 11 pessoas disputando a preferência do eleitorado.

Além da briga entre o senador Wellington Fagundes (PL) e o deputado Neri Geller (PP), para saber quem estará na chapa de reeleição do governador Mauro Mendes (União), outros 6 nomes aparecem com a intenção de disputar a única vaga ao Senado neste ano.

Natasha Slhessarenko (PSB) lançou a sua pré-candidatura no mês passado e tem percorrido Mato Grosso na busca de viabilizar-se para a disputa. Um dos entraves para a médica, contudo, é saber em qual palanque estará.

Nacionalmente, o PSB lançou o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como vice na chapa do ex-presidente Lula (PT), que é pré-candidato à presidência pela federação PT-PCdoB e PV. A lógica, neste caso, seria Natasha disputar ao Senado na chapa da federação no estado.

Porém, o presidente estadual da sigla, deputado Max Russi (PSB) não esconde de ninguém a sua intenção de ficar na chapa do governador, que apoiará a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Outra alternativa seria lançar uma chapa solo, no entanto, Natasha ficaria com o tempo de TV apenas da própria legenda.

Leia Também:  Câmara dos Deputados analisa prisão de Daniel Silveira nesta sexta | Agência Brasil

Já o PTB tem como pré-candidato o presidente da Aprosoja Brasil, Antônio Galvan. Ele disputa os votos dos bolsonaristas em Mato Grosso, e tem incomodado Wellington Fagundes, que tenta conquistar o apoio dos seguidores do presidente recém-filiados ao PL.

Outro nome feminino que surge como opção é o da primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, filiada ao PV. O nome dela foi colocado pelo Partido Verde, que também tem o nome do vice-prefeito de Cuiabá, José Roberto Stopa, para concorrer ao governo.

Nos bastidores, o que se comenta é que o nome de Márcia faz parte de uma estratégia do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), que busca ter um nome à majoritária de sua confiança para fortalecer o projeto de reeleição do seu filho, o deputado federal Emanuelzinho (MDB).

Já outros nomes surgem recentemente como o de Flávio Frical, que perdeu a disputa pela prefeitura de Várzea Grande em 2020, e será lançado ao Senado no dia 25 de maio pelo Pros.

O vereador de Cuiabá Kássio Coelho foi lançado pelo Patriota para a disputa ao Senado. O último nome que se colocou à disposição até o momento para o Senado foi James Cabral (PT), irmão do deputado Lúdio Cabral (PT), que disputou a prefeitura de Cáceres em 2020.

Leia Também:  Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra covid | Agência Brasil

Neste ano, estará em disputa uma única vaga para o Senado, que hoje pertence a Wellington Fagundes, que tentará se reeleger.

Em 2018, quando duas vagas estavam em disputa, 11 candidatos concorreram as eleições, pleito em que a ex-juíza Selma Arruda foi eleita pelo extinto PSL e Jayme Campos pelo  DEM, que é União Brasil após se fundir com o PSL.

Porém, Selma Arruda foi cassada em dezembro de 2019, provocando uma eleição suplementar para escolher um novo nome. A disputa ocorreu em novembro de 2020, quando Carlos Fávaro se elegeu, disputando com 10 nomes.

Candidatos em 2018

Jayme Campos (DEM)
Selma Arruda (PSL)
Carlos Fávaro (PSD)
Nilson Leitão (PSDB)
Adilton Sachetti (PRB)
Profº Maria Lúcia (PCdoB)
Procurador Mauro (Psol)

Waldir Caldas (Novo)
Profº Aladir (PPL)
Gilberto Lopes (Psol)
Sebastião Carlos (Rede)

Candidatos em 2020

Carlos Fávaro (PSD)
Elizeu Nascimento (DC)
Euclides Ribeiro (Avante)
Feliciano Azuaga (Novo)
José Medeiros (Podemos)
Procurador Mauro (PSOL)
Nilson Leitão (PSDB)
Pedro Taques (SD)
Reinaldo Morais (PSC)
Coronel Fernanda (Patriota)
Valdir Barranco (PT)

2022

Wellington Fagundes (PL)
Neri Geller (PP)
Natasha Slhessarenko (PSB)
Antônio Galvan (PTB)
Flávio Frical (Pros)
Kássio Coelho (Patriota)
Marcia Pinheiro (PV)

Fonte: GD

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA