728x90 (1)

POLÍTICA MT

Tenso, Emanuel cancela coletiva e corre atrás de advogados em Brasília

Publicados

em

O prefeito Emanuel Pinheiro, que evita a imprensa sobre batida da PF

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) resolveu tomar chá de sumiço depois que a Polícia Federal deu uma batida e cumpriu 21 mandados contra sua gestão, especificamente na área da Saúde.

Na última sexta (3), Emanuel afirmou que iria dar uma entrevista coletiva, na manhã desta segunda-feira (2), para tentar explicar as suspeitas de crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva, contratação ilegal, pagamento irregular e perturbação de processo licitatório contra integrantes de seu staff e empresas que faturaram R$ 45 milhões de verbas federais, inclusive para combate à Covid.

Sentindo a gravidade da situação – e da consistência das investigações da PF e do MPF – o prefeito decidiu cancelar a entrevista coletiva e ir para Brasília, onde deve se reunir com uma banca de advogados – a mesma que o defende no caso do Escândalo do Paletó.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Frente parlamentar promove ações on-line no 'Setembro Amarelo'
Propaganda

POLÍTICA MT

Caminhoneiros mantêm bloqueio em oito trechos de rodovias em MT

Nestes pontos está sendo permitida somente a passagem de veículos com cargas vivas, perecíveis e ambulâncias.

Publicados

em

Após dois dias do feriado de 7 de setembro, oito municípios de Mato Grosso continuam com trechos das rodovias federais BR-163, BR-364 e BR-070 bloqueados pelos caminhoneiros que manifestam a favor do governo Bolsonaro. Nestes pontos está sendo permitida somente a passagem de veículos com cargas vivas, perecíveis e ambulâncias.

Segundo a concessionária Rota do Oeste, os trechos que seguem interditados pelos manifestantes são: Cuiabá (KM 396 da BR-364), Várzea Grande ( KM 517 da BR-070), Nova Mutum ( KM 601 e KM 593 da BR-163), Lucas do Rio Verde ( KM 687 da BR-163), Sorriso ( KM 745 da BR-163) e Sinop ( KM 821 da BR- 163).

Os trechos de Guarantã do Norte ( KM 1055 da BR-163) e Matupá ( KM 1035 da BR-163) também seguem interditados. Conforme um comunicado que circula nas redes sociais, o objetivo da manisfestação é fazer com que o Congresso Nacional aprove o voto impresso e auditável com contagem pública dos votos.

Os caminhoneiros pedem também a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por promoverem uma “ditadura judiciária”.

Leia Também:  Emanuel Pinheiro registra boletim de ocorrência contra delegado

Áudio de Jair Bolsonaro

Na quarta-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro emitiu um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as rodovias do país. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação “atrapalha a economia” além de prejudicar toda a população.

“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”, disse o presidente na gravação.

Veja vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA