728x90 (1)

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro tem alta de hospital e se defende de suspeitas de irregularidades na compra de vacinas

Presidente ficou 4 dias internado por conta de uma obstrução intestinal. Na saída, sem máscara, defendeu Pazuello, investigado pela CPI da Covid.

Publicados

em

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu alta médica na manhã deste domingo (18) após apresentar um quadro de obstrução intestinal e passar 4 dias internado no Hospital Vila Nova Star, na Zona Sul de São Paulo.

Na saída, o presidente tirou a máscara – que é de uso obrigatório no estado –, falou por cerca de 30 minutos com jornalistas e tirou fotos com apoiadores.

Bolsonaro defendeu seu governo das suspeitas de irregularidades em negociações de vacinas contra a Covid e manifestou apoio ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, investigado pela CPI da Covid.

O presidente comentou a reunião de Pazuello com intermediários que buscavam vender a vacina CoronaVac por quase o triplo do preço pago no contrato com o Instituto Butantan.

Bolsonaro argumentou que muitas pessoas são recebidas no ministério e que se fosse algo secreto ou superfaturado, Pazuello não estaria no vídeo. Questionado se achava normal o ministro receber os intermediários, Bolsonaro respondeu: “Se eu tivesse na Saúde, eu teria apertado a mão daqueles caras tudo. O receber, ele [Pazuello] não estava sentado à mesa”, disse.

Leia Também:  OAB pedirá providências ao CNMP sobre denúncias de irregularidades na força-tarefa da Lava Jato

Bolsonaro também chamou de “casca de banana” o aumento para R$ 5,7 bilhões do fundo eleitoral, incluído no Projeto de Lei Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021 aprovado pelo Congresso, mas não disse se irá vetar ou sancionar o dispositivo.

Após deixar o hospital, o presidente foi para o aeroporto de Congonhas, onde embarcou para Brasília. Ele disse que deve despachar do Planalto a partir de segunda-feira (19). Segundo sua equipe médica, ele deve continuar a ter acompanhamento ambulatorial.

Acompanhamento ambulatorial

O presidente foi levado para o Hospital das Forças Armadas, em Brasília, na madrugada de quarta, após sentir dores abdominais e um quadro de soluço persistente. O cirurgião Antônio Macedo, médico que o acompanha desde a facada de 2018, decidiu trazê-lo para São Paulo.

A possibilidade de uma cirurgia para desfazer a obstrução chegou a ser cogitada, mas foi descartada após o presidente responder bem ao tratamento chamado de conservador por sua equipe médica.

Bolsonaro teve 1 litro de líquido tirado do estômago, segundo o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente.

Leia Também:  Eleições 2020: TSE faz protocolo para dia de votação na pandemia

Nos primeiros dias de internação, o presidente usou uma sonda nasogástrica para se alimentar. Na sexta (16), começou a receber dieta líquida e, no sábado (17), uma dieta cremosa.

O presidente não se afastou do cargo durante a internação, e seguiu despachando do hospital.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Cuiabanos vão às ruas protestarem a favor de Bolsonaro e do voto impresso

Publicados

em

Mais de 800 veículos participam da manifestação em favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do voto impresso na tarde deste domingo (1), em Cuiabá. Acompanhados de um trio elétrico, os manifestantes percorreram as principais avenidas da Capital mato-grossense ao som do hino nacional e músicas de apoio ao governo federal.

A Polícia Militar informou que a manifestação iniciou às 15 horas. Os manifestantes se concentraram na Praças das Bandeirantes, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Av. do CPA).

Logo depois, eles desceram a Avenida Tenente Coronel Duarte (Av. da Prainha) e foram à Getúlio Vargas.

Após a carreata, o grupo se concentraram na Praça 8 de Abril. No local, políticos da ala bolsonarista de Mato Grosso como o deputado federal José Medeiros (Podemos), Victório Galli (Patriotas) e a Coronel Fernanda (Patriota) fizeram discurso a favor do presidente da República.

Grande parte dos manifestantes usava roupas nas cores verde e amarela e carregava cartazes e faixas com mensagens sobre pedido de voto impresso nas eleições de 2022 e com declarações em apoio a Bolsonaro.

Leia Também:  Senadores marcam sabatina de Kassio Nunes para em 21 de outubro

Houve também registros de faixas com mensagens inconstitucionais, como pedidos de destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os protestos seguiram com manifestantes a pé, de carro e de moto.

Além de Cuiabá, houve protestos em outras diversas capitais do Brasil.

Veja o vídeo 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA