728x90 (1)

POLÍTICA NACIONAL

Caminhoneiros desmentem Sérgio Reis sobre paralisação da categoria

‘Ele não representa nem os artistas, quanto mais os caminhoneiros’, afirmou Plinio Dias, presidente do CNTRC

Publicados

em

Líderes caminhoneiros desmentiram, neste domingo 15, a afirmação do cantor Sérgio Reis de que estaria organizando uma manifestação da categoria no dia 7 de setembro.

“A gente desconhece as pessoas que estão ao lado dele”, diz Plinio Dias, presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Carga (CNTRC), ao jornalista Chico Alves, do UOL.

“Sérgio Reis não representa nem os artistas, quanto mais os caminhoneiros”, acrescentou.

Áudios atribuídos ao sertanejo afirmam que a manifestação terá um objetivo adicional: a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Reis afirma que o movimento deve acontecer nos três dias que antecedem o próximo feriado de 7 de setembro.

“Vamos fazer um movimento clássico, sem agressões. Queremos dar um jeito de movimentar esse país e salvar o nosso povo. Estamos organizando talvez [para os dias] 4 a 6 de setembro. Dia 7 de setembro não queremos fazer nada para não atrapalhar o desfile do nosso presidente, que é muito importante”, disse Reis.

Leia Também:  Senado aprova sessão para ouvir governo e laboratórios sobre vacinação

Ao UOL, Dias declarou que a preocupação dos líderes da categoria é com as melhorias de condições de trabalho e não com pautas políticas.

“Ninguém conhece esse tal de Zé Trovâo e esse tal de Chicão Caminheiro, que aparecem nos áudios de WhatsApp convocando para a manifestação”, afirma o presidente do CNTRC. “Os caminhões que vão participar são bancados pelo agronegócio”.

O presidente da Associação Brasileira dos Condutores de VeículosAutomotores (Abrava), Wallace Landim, o Chorão, que já apoiou o presidente Jair Bolsonaro, também desmentiu o cantor.

“Não nos envolvemos com política, nem a favor de governo ou contra governo, nem a favor do STF ou contra o STF”, diz ele. “Quero deixar claro que não participamos disso”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Governo libera mais R$ 418 milhões para rodovias atingidas por chuvas

Recursos serão utilizados em 14 estados

Publicados

em

O presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, editou medida provisória (MP) nesta quinta-feira (20) que abre crédito extraordinário no valor de R$ 418 milhões para o Ministério da Infraestrutura. Os recursos serão usados a recuperação de rodovias atingidas pelas chuvas em 14 estados: Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo e Tocantins.

No fim de dezembro, o governo federal liberou R$ 200 milhões para a recuperação de rodovias em diversos estados, principalmente Bahia e Minas Gerais, que registram, até agora, a maior extensão de estradas danificadas.

O próprio presidente Jair Bolsonaro, que está em visita oficial ao Suriname, anunciou a liberação dos recursos durante sua live semanal, transmitida pelas redes sociais. De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que também participou da live, o governo mapeou a maior parte das rodovias danificadas pelas chuvas e enchentes ocorridas nas últimas semanas.

“Já mapeamos todas as situações, temos contratos para a maioria dessas situações. E aquelas que não temos [contrato] estamos na fase final para estabelecer essa contratação. Alguns problemas são mais simples de resolver e vão levar aí umas 48 horas, mas outros são mais complexos e podem levar algumas semanas”, disse o ministro.

Leia Também:  Sancionada lei que permite alterações de competições em pandemia

Desenvolvimento Regional

Outra medida provisória editada nesta quinta-feira abre crédito extraordinário de R$ 550 milhões para ações do Ministério do Desenvolvimento Regional no enfrentamento das consequências das fortes chuvas e também no apoio a estados que vem sofrendo com a seca na Região Sul do país.

Segundo o governo federal, esse crédito vai atender despesas relacionadas a socorro, assistência às vítimas, fornecimento de água potável, cestas básicas, material de higiene e limpeza, combustível e dormitórios e colchões para os desabrigados. Também serão usados no apoio aéreo para o resgate da população atingida, transporte de medicamentos e equipamentos e restabelecimento de serviços essenciais, tendo em vista que muitas áreas ainda estão isoladas.

Já em relação à estiagem na Região Sul, o crédito será direcionado para a aquisição de cestas básicas, locação de carros-pipa, gastos com combustível, entre outras medidas.

Fonte: Agência Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA