728x90 (1)

SAÚDE

Covid-19: Brasil tem 125,5 mil mortes e 4 milhões de casos acumulados

Publicados

em


.

O Brasil chegou à 125.502 mortes por covid-19. Nas últimas 24 horas, foram registrados 888 óbitos. As informações estão na atualização diária divulgada pelo Ministério da Saúde na noite desta sexta-feira (4). Ontem, o painel do Ministério da Saúde marcava 124.614 óbitos. Ainda há 2.492 falecimentos em investigação.

De acordo com o balanço da pasta, desde o início da pandemia, 4.091.801 pessoas foram infectadas com o coronavírus. Entre ontem e hoje, as secretarias de saúde acrescentaram às estatísticas 50.163 novas pessoas diagnosticadas com a doença. Ontem o sistema de dados sobre a pandemia trazia 4.041.638 casos.

Ainda de acordo com a atualização, 688.056 pessoas estão em acompanhamento e outras 3.278.243 já se recuperaram.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,1%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 59,7. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 1947,1.

Covid-19 nos estados

Os estados com mais morte foram São Paulo (31.091), Rio de Janeiro (16.467), Ceará (8.555), Pernambuco (7.619) e Pará (6.228). As Unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (598), Acre (623), Amapá (670), Tocantins (730) e Mato Grosso do Sul (939).

Leia Também:  Primeira onda da covid-19 deve acabar em outubro, diz estudo da UFF

 

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

SAÚDE

Sequelas ortopédicas pós-Covid preocupam ortopedistas

Publicados

em

O estudo “Skeletal Muscle Wasting and Function Impairment in Intensive Care Patients With Severe COVID-19”, realizado por médicos do Hospital Sírio Libanês em março de 2021, envolvendo pacientes de terapia intensiva com Covid-19 grave, revelou que a perda e a diminuição da força muscular ocorreram precocemente e rapidamente durante 10 dias de internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), demonstrando a forte relação de dano na função do músculo esquelético nesses pacientes.

Associando os estudos às recorrentes queixas de pessoas que procuraram os consultórios ortopédicos em busca de recuperação muscular posterior à infecção pelo Coronavírus, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) decidiu compartilhar recomendações a respeito dessa reabilitação em pacientes em uma condição de pós-Covid-19 e queixas ortopédicas.

Para o presidente da Comissão de Campanhas Públicas da SBOT Nacional, Jean Klay dos Santos Machado, as formas moderadas e graves do vírus têm gerado sarcopenia, que é a diminuição da musculatura chamada de massa magra. “Toda vez que essa condição ocorre, existe uma exposição das articulações à sobrecarga. Então, pacientes que já vinham com alguma doença osteoarticular, ficam mais sintomáticos diante de um quadro de sarcopenia”, afirma Jean Klay. Ele ainda reforça que quanto maior o processo inflamatório da Covid-19, maior será a repercussão na musculatura.

Leia Também:  SP quer dobrar produção de vacina do Instituto Butantan

Para o presidente da SBOT, secional Mato Grosso, Dr. Vitor Spalatti, a reabilitação muscular deve se iniciar ainda enquanto os pacientes estão no hospital. “A Covid-19 é uma doença viral sistêmica, ou seja, que afeta o organismo como um todo, e que pode se apresentar em sua forma leve, moderada, grave ou crítica. Por isso, é importante iniciar essa recuperação rapidamente, com movimentos realizados no leito e/ou caminhadas curtas, mantendo sempre os cuidados precoces”, declara.

Para aqueles que não tiveram a doença, salienta-se a relevância de manter um adequado condicionamento muscular. “Além de estar associado com quadros mais leves da doença no caso de uma eventual infecção por Covid-19, a boa saúde dos músculos vai certamente facilitar a recuperação”, conclui Jean Klay.

Fotos: Pixabay

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA