728x90 (1)

SAÚDE

SP volta à Fase Vermelha por 14 dias e mantém escolas abertas | Agência Brasil

Publicados

em

SP volta à Fase Vermelha por 14 dias e mantém escolas abertas

Com recorde de mortes e pessoas internadas em estado grave, o governo de São Paulo decidiu hoje (3) colocar todo o estado na Fase 1-Vermelha do Plano São Paulo para conter o avanço do novo coronavírus. A medida entra em vigor no sábado (6) e valerá pelo período de 14 dias, até o dia 19 de março.imagem03-03-2021-17-03-46imagem03-03-2021-17-03-46

“Estamos à beira de um colapso, e isso exige medidas urgentes”, disse o governador de São Paulo, João Doria.

As aulas presenciais nas escolas da rede pública ou privada não serão suspensas. A frequência presencial dos alunos, no entanto, não é obrigatória e a capacidade é limitada a 35% do total.

Na Fase 1-Vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo, somente serviços considerados essenciais como farmácias, padarias, postos de combustíveis, transporte, bancos, hotéis e supermercados podem funcionar. Nesta semana, o governo estadual acrescentou igrejas e estabelecimentos religiosos como serviços essenciais.

A Fase Vermelha não proíbe a circulação de pessoas pelas ruas, como ocorre em um lockdown. Fica proibida a abertura de bares, restaurantes, shoppings, academias, eventos e comércio não essencial, entre outros. No caso do comércio, bares e restaurantes, somente serviços de delivery ou de compras pela internet podem funcionar.

Leia Também:  Cuiabá desembarca na Argentina para enfrentar Racing em seu primeiro jogo fora do Brasil

Toque de restrições

Na semana passada, o governo paulista já havia anunciado um toque de restrições para o período noturno, entre as 23h e as 5h, válido para todo o estado. A medida, no entanto, não proibiu a circulação de pessoas à noite.

Antes da decisão, seis regiões estavam na Fase 1-Vermelha: Presidente Prudente, Marília, Bauru, Araraquara, Ribeirão Preto e Barretos. Apenas três permaneciam na Fase 3-Amarela: Piracicaba, Baixada Santista e Araçatuba. O restante, que incluía a Grande São Paulo e a capital paulista, estava na Fase 2-Laranja do Plano São Paulo.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O plano divide o estado em 17 regiões e cada uma delas é classificada em uma fase do plano, dependendo de fatores como capacidade do sistema de saúde e a evolução da epidemia.

Recorde

Ontem, o estado bateu o recorde de mortes por covid-19 para um dia. Foram 468 óbitos, o maior número já registrado desde o início da pandemia em fevereiro do ano passado. O estado já soma 60.014 mortes por covid-19.

Leia Também:  Bolsonaro diz que busca a conscientização contra a covid-19 | Agência Brasil

É a segunda vez, somente neste ano, que o balanço ultrapassaou a marca de 400 mortes por dia. Isso já havia ocorrido no dia 9 de fevereiro, com 424 mortes. O recorde, até então, havia ocorrido no dia 13 de agosto, quando foram registradas 455 mortes.

Outro recorde foi batido com o número de pessoas internadas em unidades de terapia intensiva (UTI), em estado grave. Chegou a 7 mil pessoas, o registro mais alto até agora. O número vem crescendo e batendo recordes dia a dia.

Apenas hoje, 7.415 pessoas estavam internadas em estado grave. No pico da doença, em julho do ano passado, o recorde de pessoas internadas era de 6.250. As taxas de ocupação dos leitos de UTI estão atualmente em 76,7% na Grande São Paulo e em 75,3% no estado e vem crescendo também. Há uma semana as taxas estavam em cerca de 68%.

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-03/sp-volta-fase-vermelha-por-14-dias-e-mantem-escolas-abertas

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Saúde tem 1,2 milhão de doses garantidas para imunização de crianças

“Ninguém ficará sem vacina”, garantiu secretário Marcos Vinicius Dias

Publicados

em

O Ministério da Saúde tem disponível 1,2 milhão de doses de CoronaVac para imunização de crianças de 3 e 4 anos. A informação é do secretário-executivo adjunto do Ministério da Saúde, Marcos Vinicius Dias, entrevistado do programa A Voz do Brasil desta quarta-feira (20). De acordo com Dias, caso seja necessário, doses podem ser realocadas para suprir as demandas de estados com mais carência e novos lotes poderão ser adquiridos. “Ninguém vai ficar sem vacina”, garantiu.

O representante da pasta disse que, assim como foi feito no início da pandemia, no qual foram priorizados os grupos mais vulneráveis, também agora, será dada prioridade a crianças que tenham alguma doença que as fragilize e as torne um pouco mais suscetível a uma evolução grave da doença.

Segundo Dias, todas as vacinas têm um risco potencial de efeitos colaterais. “Felizmente os efeitos que foram registrados com a CoronaVac são eventos leves”, sustenta, acrescentando que a vacina foi chancelada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que é uma agência de estado, o que traz a segurança de que ela é efetiva. “De modo que não vale a pena correr o risco de não vacinar com medo de um eventual efeito adverso”, disse. Ele citou o caso do Chile, onde quase 500 mil crianças já foram vacinadas.

Leia Também:  Distribuição de vacinas da AstraZeneca devem começar neste sábado | Agência Brasil

Outras vacinas

O secretário-executivo adjunto falou também sobre a perda da adesão às campanhas de vacinação nos últimos 10 anos, sobre a vacinação antirrábica e sobre os casos de varíola dos macacos.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA